Como o Open Master auxiliou na construção da moeda social Araribóia

Em 17 de junho de 2021, foi apresentado o PL que dá o pontapé inicial no plano da retomada econômica do município de Niterói. Conversamos com a Secretária da Fazenda do município, Marília Ortiz, que participou do Open Master ON, programa da Agenda Pública que contou com a parceria do Covid Radar na edição de 2020, e fez parte do grupo de gestores que criou o que pretende ser a maior experiência de moeda social do mundo.

“Colocando o open master em prática
Apresentando hoje o PL da Moeda Social Araribóia
Será a maior experiência de moeda social do mundo
30 mil famílias”

Foi assim que, orgulhosa, Marília Ortiz contou no grupo de whatsapp da Rede de profissionais do Open Master que sua experiência estava se tornando realidade. Em conversa com a Agenda Pública, nos explicou tudo sobre o PL e como sua participação no Open Master influenciou na elaboração do projeto.

 

A participação no Open Master


Marília conta que quando participou do Open Master, apesar da licença maternidade, estava envolvida com a criação do plano de governo do então candidato Axel Grael. Ela ainda não imaginava que seria Secretária da Fazenda do Município de Niterói, mas já estudava temas do desenvolvimento econômico sustentável.

Conheça o Fundo REIN e apoio a recuperação econômica inclusiva

Durante a sua experiência no programa da Agenda Pública, ela teve a oportunidade de entrar em contato com pessoas, casos e soluções até então desconhecidas por ela. No Open Master os participantes são conduzidos em uma jornada que busca criar soluções para casos práticos e aplicáveis. Quando se deparava com um desafio da vida real, a secretária conta que sempre lembrava dos encontros com os colegas. Foi possível prever com mais facilidade os desafios e potencialidades das ideias que estavam em discussão durante a elaboração do PL. 

“Eu não fiz sozinha, como no Open Master não criamos sozinhos. Mas, certamente, a minha experiência prévia foi muito relevante para pensar soluções cabíveis para o que queríamos ao criar o PL.”

 

O PL da Moeda Social Araribóia

O orgulho não é só de Marília, mas de todos os niteroienses e isso fica claro durante a apresentação do PL que foi transmitida ao vivo pela página de Facebook da Prefeitura de Niterói. O município está caminhando em direção à retomada da economia visando a inclusão de toda população em situação de vulnerabilidade. 

 

Existem alguns diferenciais da Araribóia para outras moedas sociais que já existem hoje. Veja os diferenciais:

      • Destinada à população em situação de pobreza ou pobreza extrema
        Significa que pessoas com renda mensal de R$ 178,00 e R$ 78,00 podem pedir o benefício.

         

      • 1 Araribóia equivale a 1 real
        O valor do benefício dado a cada pessoa é de R$ 90,00. Ele pode ser utilizado por cartão magnético.

         

      • O benefício é dado per capita e não por família
        Com um limite de 6 membros registrados para receber o benefício, a renda familiar pode chegar a R$ 540,00 para os beneficiários.

         

      • O benefício só pode ser usado dentro do município
        Como meio de gerar desenvolvimento econômico local, a Araribóia só pode ser usada dentro do município de Niterói.

         

      • As transações feitas pelo cartão de crédito geram insumos para o programa de microcrédito
        Cada vez que um beneficiário usa o cartão de crédito, 2% do valor é revertido para o fundo que financia o microcrédito para microempreendedores.

         

      • Reajuste anual
        O valor do benefício é reajustado anualmente tendo como base o IPCA, a taxa que acompanha a inflação. 

Compartilhe essa publicação!

Talvez essas publicações também te interessem!