O que podemos aprender com o setor de mineração no combate aos efeitos socioeconômicos da pandemia de COVID-19?

O IBRAM, em parceria com a Agenda Pública, produziu a publicação “Mineração como parceira para o desenvolvimento de sociedades mais inclusivas e resilientes – Aprendizado Brasileiro” em que apresenta a atuação do setor de mineração no desenvolvimento local. Um esforço inédito na criação de condições e oportunidades diante de uma crise como a causada pela pandemia de COVID-19. Felizmente, o setor foi capaz de reconhecer sua importância na mitigação dos efeitos da pandemia e agiu prontamente a partir da união com o terceiro setor, governos locais e sociedade.
Baseadas em estudos e recomendações, em consonância com diretrizes governamentais, as respostas de empresas do setor minerador à COVID-19 buscaram apoiar a população local. No sentido da valorização de suas vidas, garantindo meios de subsistência, educando e capacitando pessoas na prevenção do aumento de casos do novo coronavírus. Foi o investimento na comunidade, defesa e apoio ao fortalecimento institucional que possibilitou o êxito.
E como essas ações foram planejadas?

 

Foco nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS)

 

Os 17 ODS vêm sendo base para a criação de políticas e ações nos setores privado e público. Servem como guias para alcançar o desenvolvimento sustentável no mundo, mas que exigem esforço local para a conquista das metas planejadas. Com a pandemia, ficou óbvia a importância de acelerar o compromisso com a Agenda 2030.

O setor de mineração está comprometido com a sustentabilidade desde 2019, com a assinatura da Carta Compromisso, cujo objetivo é reforçar valores ligados ao tema nas áreas sociais, ambientais e de governança. E, nas suas respostas à COVID-19, esse compromisso ficou ainda mais evidente. Foram levados em conta ODS como:

ASSEGURAR UMA VIDA SAUDÁVEL E PROMOVER O BEM-ESTAR PARA TODOS, EM TODAS AS IDADES.

PROMOVER O CRESCIMENTO ECONÔMICO SUSTENTADO, INCLUSIVO E SUSTENTÁVEL, EMPREGO PLENO E PRODUTIVO, E TRABALHO DECENTE PARA TODOS.

ASSEGURAR UMA VIDA SAUDÁVEL E PROMOVER O BEM-ESTAR PARA TODOS, EM TODAS AS IDADES.

PROMOVER O CRESCIMENTO ECONÔMICO SUSTENTADO, INCLUSIVO E SUSTENTÁVEL, EMPREGO PLENO E PRODUTIVO, E TRABALHO DECENTE PARA TODOS.

Esses são exemplos do olhar interessado que o setor de mineração teve em suas ações. É importante destacar o ODS 17, que tornou-se protagonista no decorrer do ano de 2020, dada a importância das ações conjuntas e da governança unificada e compartilhada, em tempos de crise.

 

Progresso social como meta

 

Tendo a visão global dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e o anseio central do atendimento às populações locais como pilares da definição das ações de mitigação, foi possível acessar suas dores e peculiaridades.
As mineradoras, tradicionalmente, são empresas que possuem áreas de relacionamento com comunidade, sustentabilidade e responsabilidade social estruturadas, promovem ações de filantropia e outras relacionadas ao investimento social privado. Com isso, puderam acessar, de maneira rápida e direta, as pessoas e colocá-las na centralidade da ação. Com o exercício do princípio da transparência, o setor privado se abre para dialogar, aprender e aprimorar a partir da opinião pública. Essa é uma característica que aproxima o setor do ideal de interdependência entre negócios e sociedade civil, gera valor compartilhado e alinha as práticas das empresas aos princípios ESG.

Na abordagem da recuperação econômica inclusiva, saída para a crise instaurada, é importante não deixar ninguém para trás. E, o setor mineral vem demonstrando como a articulação com a sociedade civil, o aprimoramento das capacidades locais e governança sólida são elementos fundamentais nesse sentido.

Setor de mineração e o reforço das parcerias

 

Apesar da motivação de enfrentamento aos riscos que a pandemia trouxe para empresas e cidadãos, a situação de crise deixa um importante legado: a aproximação entre mineradoras, sociedade civil e governo. Demonstrando a importância de unir forças para alcançar resultados positivos para todos.
A parceria da Agenda Pública com o IBRAM e empresas de mineração já vem de longa data. A partir de agora, o próximo passo é a implementação da jornada de recuperação inclusiva RESET da Agenda Pública, estruturada em dois ciclos e as etapas descritas a seguir:

Seguimos firmes com o propósito de reagir de maneira consistente e definitiva aos traumas sociais e econômicos decorrentes pela pandemia de COVID-19. Juntos chegaremos a novos patamares de prosperidade e bem-estar.

Compartilhe essa publicação!

Talvez essas publicações também te interessem!